Diretor: 
João Pega
Periodicidade: 
Diária

ClimAgir planta sobreiros na zona industrial e em escolas de Mortágua


sábado, 09 fevereiro 2019

Apresentado publicamente pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC), a 14 de novembro de 2018, no Pavilhão Gimnodesportivo da Pampilhosa (Mealhada), o projeto ClimAgir, já começou a dar a frutos. Depois de uma visita às escolas do Agrupamento Escolar de Mortágua, foram plantados 60 sobreiros e distribuídos mais de 140 por crianças e professores a fim de promoveram outras ações de plantação.

O Bolotas, sobreiro-mascote do projeto ClimAgir, visitou as escolas do primeiro ciclo do ensino básico até ao secundário, num total de 12 turmas e 333 alunos. À sua passagem, Bolotas deixou uma mensagem de sensibilização para as alterações climáticas, através de vídeos e folhetos que alertam, entre outras coisas, para o perigo do aquecimento global.

Nesta viagem às escolas de Mortágua embarcaram também os técnicos do ClimAgir, a quem coube a responsabilidade de apresentar aos mais novos as medidas e comportamentos a adotar em termos ambientais. A importância de preservar as plantas autóctones foi um dos temas abordados, na medida em que estas são “fundamentais para o desenvolvimento sustentável, criando e dinamizando atividades económicas, como o caso da cortiça”, tal como referiram, assim como para combater os incêndios, uma vez que estas espécies são bastante resistentes à ignição.

Ao abrigo desta visita, foram plantadas seis dezenas de sobreiros, espalhados pela Escola Básica Dr. José Lopes de Oliveira, Escola Secundária Dr. João Lopes de Morais e pelo parque da Zona Industrial de Mortágua. Com esta ação, à qual acresceu a distribuição de mais de 140 sobreiros, para posterior plantação, a crianças e professores, o projeto ClimAgir pretende promover a segurança nas zonas circundantes às referidas infraestruturas no que se refere à deflagração de incêndios florestais.

Recordamos que o projeto ClimAgir, financiado pelo POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos), Portugal 2020 e Fundo de Coesão, é uma das medidas previstas no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas (PIAAC), “documento estruturante que contempla o conhecimento das especificidades setoriais (Agricultura, Alimentação, Florestas, Biodiversidade, Recursos Hídricos, Estuários e Zonas Costeiras, Infraestruturas e Energia, Turismo e Saúde Humana), avaliação da vulnerabilidade atual e futura às alterações climáticas e identificação, definição e priorização de medidas de adaptação específicas para o território da CIM Região de Coimbra”, esclarece a comunidade intermunicipal em comunicado de imprensa.